Traduzindo-se em Ser…

Não sei como tudo começou,
E nada muda saber como começou
Mera retórica, palavra esvaziada.

Sei que, a cada dia, me revelo,
Percebo, assumo, liberto-me.
Revelação pessoal, íntima, única.
Revelação que reverbera,
Pulsa…

Livre, das amarras que me coloquei
falo aquilo que já sabia,
Aquilo que negava, escondia.
Menti, ocultei,
E durante anos, mantive-me cego.

Revelação que reverbera…
Impulsiona possibilidades,
Liberdade…
Deixar de parecer…
Ser, sem esconder,
Ser, autenticidade.
Ser, felicidade.

Traduzindo-se em ser…
Só isso e tudo isso!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close